Antigamente, só se ouvia falar em planos de saúde para família ou então individual. No entanto, com o passar do tempo, foram criadas outras modalidades de plano para facilitar e melhorar o acesso. E entre elas está os planos por adesão, os quais se assemelham em muitas coisas com os planos empresariais.

Isso acontece porque as administradoras trabalham com a maioria das operadoras conhecidas. Porém, os planos por adesão possuem algumas vantagens e desvantagens quando comparados às demais modalidades.

Sendo assim, criamos esse conteúdo para conhecer as principais as vantagens e desvantagens do plano de saúde por adesão.

Vantagens

Opções de coberturas

Os planos por adesão possuem diferentes opções de coberturas. Desse modo, o beneficiário pode escolher entre planos completos, com cobertura Ambulatorial + Hospitalar com Obstetrícia ou apenas ambulatorial.

Possibilidade de inclusão de dependentes

Mesmo que os seus familiares não façam parte de uma entidade, eles poderão ser incluídos como dependentes, como os cônjuges e filhos, e usufruir dos mesmos benefícios que você.

Benefícios da entidade/conselho de classe

Por mais que algumas entidades ou conselhos de classe acabem cobrando um valor mensal ou anual da filiação, esse valor não é tão significativo e, ainda, permite que os filiados tenham acesso a diversos outros benefícios. Como por exemplo, descontos em viagens, lojas e cursos online. Porém, nem toda entidade cobra essa taxa de filiação.

Preço do plano de saúde

Apesar das taxas administrativas, os planos de saúde por adesão podem acabar tendo melhor custo-benefício que as outras modalidades. Em geral, as mensalidades podem chegar a ser 25% a 50% mais baratas do que os planos individuais.

Como a operadora do plano considera a sinistralidade do grupo de pessoas que faz parte da associação profissional para cotar a assistência e não o perfil de cada usuário, as mensalidades acabam sendo menores.

Quando é analisado individualmente, como no plano individual, os valores dos planos aumentam de forma significativa, sendo que quanto maior o risco de a pessoa ter que ir ao médico, maior será a mensalidade.

Vencimento das mensalidades

Tanto para os planos individuais, quanto para os empresariais, a data de vencimento da mensalidade é a data em que o plano foi contratado.

Porém, no caso dos planos por adesão, você consegue escolher a data de pagamento que melhor se encaixa a sua realidade. Ela poderá ser definida entre os dias 5 e 20 de todo mês.

Período de carência do plano

A maioria das operadoras de saúde reduzem a carência, tempo entre a data de contratação do serviço e o dia em que é possível começar a utilizá-lo, quando o plano é por adesão.

Normalmente, em planos individuais com obstetrícia a carência para partos a termo é de até 300 dias (prazo máximo definido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS). Isso significa que, se entrar em trabalho de parto antes desse tempo, o seu plano não irá cobrir a assistência médica.

Mas, no caso dos planos por adesão, provavelmente esse tempo é menor, porque foi contratado de modo coletivo e não individual, o que traz muitas vantagens.

Inclusive, existem algumas operadoras que isentam a carência nos planos por adesão, algo que não é possível em modalidades individuais ou empresariais com menos de 30 vidas. Ou seja, assim que assinar o contratado, já está disponível todos os serviços prestados. Mas você deve verificar com a operadora para saber exatamente o prazo.

Desvantagens

Valor

Uma das maiores desvantagens do plano por adesão está relacionado ao valor total que é cobrado. Isso porque existem taxas que devem ser pagas para a administradora e para o sindicato, as quais, geralmente, são altas.

Reajuste

Outro problema é o reajuste. Os planos sofrem reajustes no final do ano, porém nos planos por adesão, as administradoras aplicam o reajuste logo quando ele é divulgado, ou seja, no meio do ano (em maio).

Como contratar um plano de saúde coletivo por adesão?

O primeiro passo para contratar um plano de saúde coletivo por adesão é saber ser você se enquadra em pelo menos um dos critérios a seguir:

  •       Ser estudante, devidamente matriculado e regular em instituição de Ensino Infantil, Fundamental, Médio ou Superior;
  •       Possuir formação de grau superior ou técnico;
  •       Ser funcionário CLT de empresa do setor de comércio ou serviços;
  •       Ter vínculo com uma entidade de classe ou estudantil.

Em seguida, você deve procurar sua entidade profissional e verificar se ela já conta com uma parceria. Em caso afirmativo, você já pode contratar o plano e inserir seu grupo familiar a ele.

No entanto, se não houver nenhum plano contratado pela entidade, sugira a adesão. Assim, todos os associados do grupo serão beneficiados com assistência particular em saúde. Para isso a entidade deverá:

  •       Procurar um corretor ou vendedor de planos;
  •       Solicitar a cotação dos planos de diferentes empresas;
  •       Ler a proposta da operadora com cautela e ter a certeza de que ela é a ideal;
  • Contratar o plano de saúde coletivo por adesão e disponibilizar a participação para seus associados.

 

Gostou desse artigo? Deixe o seu comentário e clique aqui para conhecer outros conteúdos para sua saúde.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*