Todo pai ou mãe quer que seu filho tenha o melhor desenvolvimento possível, crescendo com saúde e alegria. Para isso, é preciso ter certeza que a criança irá receber todos os nutrientes que precisa, principalmente vitaminas e minerais.

No entanto, sabemos o quanto é difícil fazer com que uma criança realmente coma todos os alimentos que precisa, ainda mais quando estamos falando dos legumes e vegetais. Por esse motivo, muitos pediatras e nutricionistas recomendam a suplementação com polivitamínicos e poliminerais.

Apesar de muitos serem saborosos e atrativos para as crianças, os pais devem se atentar aos ingredientes e certificar que eles não contém açúcar, corantes artificiais ou outros aditivos. Desse modo, viemos aqui te ajudar a entender a importância e como escolher um suplemento para as crianças.

Por que complementar a alimentação da criança com vitamina?

É durante a infância que temos um crescimento acelerado, o qual demanda uma maior ingestão de nutrientes, especialmente de vitaminas e minerais. Isso significa que para o desenvolvimento físico, mental e cognitivo e imunológico adequado é necessário suprir todas as necessidades nutricionais do organismo.

Mas acontece que muitas vezes as crianças têm uma baixa ingestão de nutrientes. Seja porque não gosta do sabor, da aparência, porque o filme na televisão está mais interessante do que aquele prato de comida ou até mesmo alguma deficiência no organismo que o impede de absorver todos os nutrientes que precisa.

Sendo assim, a suplementação vem para garantir que todas as demandas de vitaminas e minerais sejam supridas. 

Quais características os melhores suplementos infantis devem ter?

O primeiro ponto a ser observado em uma suplementação infantil é a concentração. Por exemplo, a ingestão diária de vitamina D por uma criança deve ser de 400 UI. Sendo assim, quanto mais próximo dessa quantidade por dose, melhor o suplemento.

Outro fator determinante é a aceitação da criança. Afinal, não adianta comprar suplementos que elas não vão querer tomar. Por esse motivo, muitos fabricantes criaram gomas ou achocolatados multivitamínicos.

Além disso, eles devem ser livres de açúcar, adoçantes, corantes e saborizantes artificiais. O motivo é que quando ingeridos de forma exagerada, acabam prejudicando a nutrição e saúde da criança.

Por fim, ele deve estar bem acondicionado para garantir a eficiência. Desse modo, é preciso que a embalagem proteja as vitaminas da degradação ocasionada pela luz e isso é possível quando ela passa por um tratamento anti-UV. Ainda, é preciso ter tampa-trava, justamente para evitar que as crianças consigam abrir. 

Como são os suplementos para crianças?

Existem diversas vitaminas e minerais e cada um com sua própria especialidade. Portanto, mantenha as consultas com o pediatra em dia para que ele consiga identificar quais as necessidades do seu filho.

Os suplementos podem ser:

  •       Monocomponente: contém apenas uma das vitaminas, por exemplo, vitaminas C, D e K;
  •       Multivitaminicos: preparações contendo várias vitaminas ao mesmo tempo;
  •       Complexos de vitaminas e minerais: preparações que contêm simultaneamente vitaminas e minerais (por exemplo, ferro, cálcio, manganês, zinco, cobre);

Além disso, eles têm diferentes formas de apresentação, podendo ser comprimidos, xaropes, pastas para mastigar, figuras de marmelada, comprimidos efervescentes instantâneos e doces.

Quais as principais vitaminas e minerais?

Vitamina A

Também chamada de betacaroteno, a vitamina A é um poderoso antioxidante que protege as células de vários danos. Além disso, ela fortalece a visão, visto que mantém a córnea clara e ajuda na lubrificação dos olhos.

Outros aspectos fisiológicos que essa vitamina está envolvida é na manutenção da pele e ossos, cicatrização, aumento da absorção de cálcio e manter as mucosas saudáveis.

Vitaminas do complexo B

As vitaminas do complexo B são essenciais para todas as fases da vida, mas para as crianças promove um crescimento saudável. Além disso, atuam na formação das células vermelhas do sangue, no fornecimento de energia para o corpo e otimizam a capacidade cognitiva e outras funções do sistema nervoso.

Vitamina D

O melhor lugar para se obter a vitamina D é na luz do sol, mas nem sempre isso é possível. Ela é importante para o fortalecimento imunológico e ajuda na absorção de cálcio e fósforo, contribuindo para o desenvolvimento normal do esqueleto ósseo e prevenindo o raquitismo.

As soluções oleosas de vitamina D são mais bem absorvidas pelo organismo, mas as pastilhas para mastigar são as mais indicadas para crianças a partir de 3 anos.

Vitamina C

A vitamina C aumenta a imunidade do corpo, além de promover a cicatrização e possuir propriedades antioxidantes. Ainda, possui outros benefícios para diversos órgãos e sistemas, como:

  •       Fortalecer as paredes dos vasos sanguíneos;
  •       Proteger contra toxinas;
  •       Participar da síntese de colágeno – uma proteína que faz parte da cartilagem, ossos;
  •       Participar na absorção de ferro e ácido fólico
  •       Regular os processos de coagulação do sangue, etc.
  •       Promover a rápida cicatrização de feridas e recuperação após a cirurgia;

Vitamina E

A vitamina E é também chamada de tocoferol e a sua principal função é atuar como antioxidante, protegendo as células dos efeitos dos radicais livres. Além disso, ela:

  •       Fortalece as defesas do corpo;
  •       Promove a regeneração do tecido;
  •       Apoia a função normal do sistema nervoso;
  •       Normaliza a pressão sanguínea;
  •       Protege o corpo de doenças cardiovasculares e oncológicas;
  •       Promove o desenvolvimento normal do tecido muscular.

Frequentemente, a vitamina E é prescrita para bebês prematuros, de modo a aumentar a imunidade e reduzir a morbidade.

Cálcio

O cálcio é um dos minerais mais importantes para o crescimento infantil, mas também participa da contração muscular, atua no sistema imunológico, na transmissão do impulso nervoso ou sináptico, na ativação enzimática, na mineração de ossos e dentes e diversas outras funções primordiais para o organismo.

A ingestão de cálcio e vitamina D são os dois principais fatores nutricionais que influenciam o desenvolvimento ósseo ideal em crianças e sua recomendação é diferente para cada faixa etária. Nesse período as crianças precisam de duas a quatro vezes mais cálcio por kg de peso em relação aos adultos, principalmente na etapa de crescimento rápido, o que pode ser essencial a sua suplementação.

Zinco

O zinco é um mineral que contribui para o crescimento de crianças e adolescentes, pois influencia a regulação hormonal, principalmente do GH e IGF-I.

Como ele possui diversas funções importantes e sua deficiência acarreta diversos problemas nutricionais, o zinco é considerado um micronutriente essencial na alimentação dos pré-escolares, devendo ser incluído no planejamento nutricional.

Ferro

O ferro é um mineral necessário para o bom funcionamento das células e adequada manutenção da normalidade metabólica. Ele participa de muitos processos, sendo o mais importante o transporte de oxigênio.

Quando está em quantidades adequadas previne o aparecimento da anemia em crianças e adultos, além de outras doenças neurodegenerativas. Porém, o ferro pode se tornar tóxico quando estiver em altas concentrações, podendo provocar alguns danos teciduais, como o câncer, diabetes, doenças crônicas degenerativas, entre outras, em crianças e adultos.

Esse mineral é extremamente importante para o crescimento infantil. Portanto, as necessidades de ferro para crianças são maiores em comparação com as recomendações na fase adulta.

Desse modo, a deficiência de ferro pode afetar o crescimento e pode levar à dificuldades na aprendizagem e problemas comportamentais, progredindo para a anemia por deficiência de ferro (uma diminuição no número de glóbulos vermelhos no corpo).

Quando começar a suplementar uma criança?

As crianças podem ser suplementadas desde bebês, no entanto apenas na forma de gotículas no início. Além disso, cada idade tem as suas particularidades e necessidades, portanto é imprescindível consultar o médico antes de tomar qualquer decisão.

Ainda, é importante iniciar a ingestão antes do início da estação da epidemia de doenças virais, dar preferência às frutas e vegetais frescos e não tomar vitaminas de forma contínua. Este último é um erro muito comum dos pais, porém o excesso de vitaminas hidrossolúveis será excretado na urina e as vitaminas lipossolúveis se depositam nos tecidos do corpo e podem causar efeitos tóxicos.

Não se esqueça também que a suplementação nunca deve substituir a alimentação correta, mas é apenas um complemento para ajudar a promover a saúde do seu filho.

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*